Um em cada cinco servidores públicos que atuam em escolas de Porto Alegre foram atingidos pelas enchentes

  • 09/06/2024
(Foto: Reprodução)
Na capital, 1.395 pessoas que atuam na rede municipal foram atingidas diretamente pelas cheias e pelos temporais de maio. Capital tem 99 unidades próprias e 219 conveniadas. Escola JP Cantinho Amigo, de Porto Alegre, atingida por alagamentos Júlia Azevedo/SMED Ao menos 1.395 servidores municipais de Porto Alegre que atuam em escolas foram atingidos pelos temporais e pelas cheias, que deixaram 172 mortos no Rio Grande do Sul. Proporcionalmente, um em cada cinco funcionários foi afetado. 📲 Acesse o canal do g1 RS no WhatsApp O mapeamento da Secretaria Municipal de Educação (Smed) revela que, deste total, 1.049 atuam em escolas de ensino fundamental e outros 346 trabalham em unidades da educação infantil. Um dos servidores afetados foi o professor de língua portuguesa e inglesa Adilson Zabiela, que precisou ser resgatado em casa, no bairro Humaitá, na Zona Norte da capital, no dia 5 de maio. Mais de um mês depois, o único retorno possível ao local foi para limpar o primeiro piso da residência. "Tivemos que ser salvos, resgatados, de lá por voluntários, porque a água já chegava a quase dois metros de altura em frente ao nosso condomínio, e em nossa casa a água passou de um metro de altura", revela. Professor fez registros da casa após a enchente Adilson Zabiela/Arquivo pessoal Adilson dá aula em uma escola no bairro Sarandi que ficou inundada e afirma que os estragos impedem o retorno dos estudantes – que deverão retomar as atividades em outro local e à distância. O professor segue afastado por conta do decreto 22.724/2024, que permite o trabalho remoto e até mesmo o afastamento de agentes públicos, até 30 de junho. Diretora de uma escola na comunidade Morro da Cruz, na Zona Leste de Porto Alegre, Gislaine Coutinho segue vivendo o drama das enchentes no bairro Sarandi, onde mora. Ela afirma que a casa segue alagada desde o dia 4 de maio, quando o dique extravasou, segundo a prefeitura. "A minha casa, eu digo que a gente perdeu tudo que se compra. Tem memórias, tem afetos, coisas do meu pai e da minha mãe. Meu pai guardava moedas antigas, mas não perdemos ninguém, né, da nossa família. Estamos com todos, não reunidos, né, mas vivos", diz a diretora. Casa de diretora de escola segue alagada mesmo após um mês da enchente Gislaine Coutinho/Arquivo pessoal A funcionária pública afirma que concilia questões administrativas da escola, que não foi afetada diretamente, com o voluntariado. No momento ela está morando temporariamente em um clube da capital que se tornou centro de distribuição de donativos. A prefeitura afirma que todas as 99 escolas próprias e 219 parceiras foram atingidas pelas águas. Desse total, 41 foram parcial ou totalmente alagadas, causando grandes transtornos para a retorno às aulas. 77 escolas municipais e 140 unidades conveniadas retomaram as atividades até a última segunda-feira (3) – o que corresponde a 80% das unidades. Com isso, cerca de 50 mil estudantes podem voltar a estudar, de acordo com o município. VÍDEOS: Tudo sobre o RS

FONTE: https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2024/06/09/um-em-cada-cinco-servidores-publicos-que-atuam-em-escolas-de-porto-alegre-foram-atingidos-pelas-enchentes.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Top 5

top1
1. Raridade

Anderson Freire

top2
2. Advogado Fiel

Bruna Karla

top3
3. Casa do pai

Aline Barros

top4
4. Acalma o meu coração

Anderson Freire

top5
5. Ressuscita-me

Aline Barros

Anunciantes